“CODENSA-PRO: Desenvolvimento de Concreto Autoadensável para a Produção de Elementos Estruturais Esbeltos Protendidos”

Projeto do CT – busca melhor desempenho e durabilidade para o desenvolvimento de produtos da construção civil O projeto “CODENSA-PRO: Desenvolvimento de Concreto Autoadensável para a Produção de Elementos Estruturais Esbeltos Protendidos” tem como coordenador o engenheiro de materiais, professor Dr. Erich David Rodriguez Martinez do Departamento de Estruturas e Construção Civil do Centro de Tecnologia da UFSM. Segundo o professor Erich o objetivo do projeto é desenvolver um traço de concreto autoadensável, técnica economicamente competitiva para a produção de peças e elementos estruturais protendidos esbeltos de até 12 cm de espessura. Como justificativa o professor explica que o desenvolvimento destes materiais inovadores para a fabricação de novos produtos, possuem melhor desempenho e maior durabilidade, permitindo consolidar a empresa dentro do mercado da construção civil regional. E o uso de um concreto de melhor trabalhabilidade (ou fluidez) permite produzir elementos com um melhor acabamento (superfícies livres de porosidades ou macro defeitos), assim como, mais duráveis e resistentes. Igualmente o concreto … Ler mais

“MANUTENÇÃO CORRETIVA DE EQUIPAMENTOS MULTIUSUÁRIOS DA UFSM”

Projeto ressalta a importância da manutenção periódica e corretiva dos equipamentos utilizáveis da UFSM O projeto “MANUTENÇÃO CORRETIVA DE EQUIPAMENTOS MULTIUSUÁRIOS DA UFSM” tem como coordenador o químico industrial, professor Dr. Fábio Andrei Duarte. Segundo ele o objetivo do projeto é propiciar a manutenção corretiva dos espectrômetros de fluorescência de raios-X (BRUKER S8 TIGER), o qual é fortemente caracterizado como instrumento multiusuário, porque atende a diversos pesquisadores das mais variadas áreas da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. O professor e coordenador explica que o aparelho, espectrômetro de fluorescência de raios-X sequencial BRUKER S8 TIGER (patrimônio 219182) apoiado no projeto permite determinar a composição elementar em amostras sólidas ou líquidas, com abrangência do flúor ao urânio (z=9 até z=92), com opção também para carbono (z=7) e oxigênio (z=8) de poucas partes por milhão até 100%, dependendo do elemento, de maneira rápida e com pouco preparo de amostra. Desta forma, o custo de análise é muito menor de técnicas como … Ler mais