FATEC - Projeto desenvolvido no CCNE - UFSM busca através de dosimetro biológico inteligente detectar lesões no DNA induzidas pelo sol

Projeto desenvolvido no CCNE - UFSM busca através de dosimetro biológico inteligente detectar lesões no DNA induzidas pelo sol

Postado em 08/03/2017.

O projeto “Estudo e análise da eficácia de proteção biológica de filtros solares em nível molecular: aplicação do método FPS-DNA” é um projeto de prestação de serviço, coordenado pelo biólogo, Dr. em Biotecnologia, professor André Passaglia Schuch, do Laboratório de Fotobiologia e Radiação Ultravioleta, do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular, localizado no Centro Regional Sul de Pesquisas Espaciais (CRS/INPE – MCTI) (INPE) – CCNE – UFSM.

O projeto está baseado na utilização de um protótipo denominado  dosímetro de DNA, que tem capacidade de quantificar a formação de lesões na molécula de DNA  provocadas pela radiação solar. Essas lesões são, na verdade, modificações que ocorrem na estrutura química do DNA e que podem resultar em mutações e, posteriormente, no desenvolvimento do câncer de pele.

O coordenador professor André salienta a necessidade do desenvolvimento da ciência básica antes da realização de projetos aplicados. O biossensor usado neste projeto é um material esférico muito simples, feito de silicone, mas com possibilidade de realizar testes in vitro; isto é, não são utilizados testes em animais ou pessoas nos ensaios.

Além disso, trata-se de uma tecnologia de baixo custo que permite obter informações seguras e incisivas sobre os efeitos da radiação ultravioleta solar no DNA, sem ser testado aleatoriamente em humanos ou animais.  

Legenda 1: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE/ UFSM  

O objeto: devido as localizações geográficas do país, há diferentes doses de radiação ultravioleta (UV) que incidem no território brasileiro. Consequentemente, o uso de cosméticos contendo filtro solar torna-se imprescindível para o cuidado e proteção da pele. Contudo, os métodos atuais que determinam essa proteção são amplamente questionados pela comunidade científica internacional. Isto se deve à verificação de uma eficiente indução de lesões de DNA pela radiação UVA, a qual não é considerada no cálculo do Fator de Proteção Solar (FPS) de cosméticos pelo fato de não induzir eritema na pele humana. O objeto deste projeto consiste no uso de uma metodologia in vitro alternativa e inovadora, capaz de avaliar de forma ampla e com acurácia as propriedades de proteção biológica de cosméticos contendo filtro solar em suas formulações contra a indução de danos de DNA pela radiação ultravioleta (UV) solar.

O objetivo: aplicação da dosimetria de DNA para a realização de testes in vitro para a determinação em nível molecular das propriedades fotoprotetoras de cosméticos contendo filtro solar em suas formulações e para a quantificação de seus Fatores de Proteção Solar ao DNA (FPS-DNA), de modo a agregar valor e caráter inovador a esses produtos. Que nada mais é do que trazer informação inovadora com eficiência e baixo custo ao produto que está em desenvolvimento.

Metodologia: será feita a quantificação da indução de lesões de DNA após exposições do sistema Dosímetro de DNA (DNA-Dos) a fontes emissoras de radiação UVB e UVA na presença e ausência de filtros solares, seguida do cálculo do FPS-DNA de cada produto testado. O sistema DNA-Dos fornece a quantidade de lesões de DNA formadas após um período de exposição à luz UV por meio do uso de enzimas de reparo de DNA específicas. Essa informação serve de base para a realização do cálculo do FPS-DNA de um determinado produto fotoprotetor

Legenda 2: dosímetro 

Resultados esperados: estudar as propriedades de proteção de diferentes formulações de filtros solares comercializados por empresas nacionais e internacionais, além de determinar e divulgar os Fatores de Proteção Solar ao DNA (FPS-DNA) desses produtos. O projeto é destinado a todas as empresas, que sejam fabricantes e/ou comerciantes de formulações cosméticas contendo filtros solares. O coordenador André comenta que uma empresa cosmética nacional é parceira no desenvolvimento deste projeto, e será pioneira nesta tecnologia. 

O projeto 

-Determinar o perfil de indução de lesões de DNA pela radiação solar, através da aplicação dos biossensores DNA-Dos, de modo que seja feita uma avaliação do potencial genotóxico da luz solar na região central do Estado do RS;

-Estudar a eficácia de proteção de diferentes tipos de cosméticos fornecidos pelas empresas contratantes contra a indução de lesões de DNA após exposição do sistema DNA-Dos às lâmpadas de radiação UVB e UVA, utilizadas para simular as doses observadas no ambiente;

-Calcular os fatores FPS-DNA dos produtos avaliados no projeto frente às doses de radiação UVB e UVA empregadas;

Legenda 3: silicone para confeccionar o dosimetro 

O projeto tem como justificativa elevada incidência de câncer de pele na população mundial, o que torna urgente a necessidade de disponibilizar metodologias inovadoras para determinar as propriedades de proteção, em nível molecular, de cosméticos contendo filtro solares em suas formulações, a fim de informar corretamente os seus consumidores sobre a real eficácia de proteção de produtos contra a ação prejudicial da luz solar.

Segundo o coordenador André, a orientação ofertada pela Fatec é fundamental para que o projeto seja aprovado dentro da UFSM. Além disso, esperamos confiantes que, com o apoio dessa Fundação, o contrato com a empresa parceira seja firmado em breve, e novas oportunidades sejam criadas para a disponibilização da nossa tecnologia de biodosímetros a outras empresas interessadas”, argumenta o professor.

Kelly Martini – MTb 137.25

Assessora de Imprensa da FATEC




Ver todas Notícias.

Desenvolvido por Fernando Denardin